O lançamento acontece em associação ao Programa de Política Educacional Internacional da Universidade de Harvard e será realizado no Palácio da Cidade, no Rio de Janeiro, às 15h, com a presença de especialistas e autoridades.

centro_ebape

A Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (EBAPE) inaugura hoje, dia 28 de novembro, o Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (CEIPE). O lançamento acontece em associação ao Programa de Política Educacional Internacional da Universidade de Harvard e será realizado no Palácio da Cidade, no Rio de Janeiro, às 15h, com a presença de especialistas e autoridades.

Na ocasião, estarão presentes: Carlos Ivan Simonsen Leal (presidente da FGV); Flavio Vasconcelos (diretor da EBAPE); Claudia Costin (diretora do CEIPE); Jenny Perlman Robinson (Instituto Brookings); Fernando Reimers (professor da Universidade de Harvard); Flavio Dino (governador do Maranhão); Felipe Camarão (secretário de Educação do Estado MA); Wagner Victer (secretário de Educação do Estado RJ); Helena Bomeny (secretária de Educação do Município do RJ); Marco Aurélio Marrafon (secretário de Educação do Estado do MT); Teresa Bergher (vereadora do Rio de Janeiro); José Eduardo Amantinni (prefeito de Itapuí SP); e Rafael Parente (especialista em Inovação na Educação).

Segundo Flavio Vasconcelos, diretor da EBAPE, a criação do CEIPE tem o objetivo de fortalecer a capacidade da Escola de impactar mais diretamente as políticas públicas. Ao mesmo tempo, sua inserção num ambiente de grande circulação de estudantes e pesquisadores permitirá a construção de uma conexão mais íntima do conhecimento adquirido com a sua aplicação às necessidades prementes do país.

Sob a liderança de Claudia Costin, ex-secretária municipal de Educação do Rio de Janeiro e diretora global de Educação do Banco Mundial até recentemente, o CEIPE será um centro de pesquisa aplicada e implementação de políticas educacionais inovadoras e efetivas, com o objetivo de gerar ganhos sustentáveis de aprendizagem para crianças e jovens brasileiros. O foco será a qualificação da primeira infância e a equidade e personalização dos processos de aprendizagem.

O CEIPE vai auxiliar na idealização, planejamento, implementação, acompanhamento e avaliação de políticas educacionais inovadoras em áreas prioritárias, como a formação de gestores da educação e professores.

“O Centro é uma iniciativa importante diante da realidade brasileira, em que a melhoria do nosso sistema educacional vem acontecendo de forma muito lenta e desigual. Ele surge, entre outras coisas, para promover a aceleração e a transformação positiva de sistemas educacionais no Brasil”, explica Cláudia.

Segundo dados do Observatório do Plano Nacional de Educação (PNE), menos de 10% dos jovens que concluem o ciclo de educação básica e obrigatória no Brasil adquirem os conhecimentos e desenvolvem as competências e habilidades mínimas necessárias para a vida de cidadãos brasileiros. Estados e cidades obtêm resultados muito diferentes, e o status socioeconômico, a etnia e a escolarização da família do jovem exercem grande influência em seu aprendizado.

Cláudia, que atualmente é professora visitante na Faculdade de Educação da Universidade de Harvard, reforça os dados do PNE ao considerar que os maiores problemas da educação brasileira são a falta de qualidade e de equidade.

“Em todas as avaliações oficiais, nacionais e internacionais, nossos resultados são preocupantes. O Brasil figura, em todas as edições do PISA – a avaliação internacional mais respeitada no mundo –, em posições incompatíveis com o seu estágio de desenvolvimento”, aponta.

A nova unidade da EBAPE também terá apoio do Instituto Brookings. Durante o evento, haverá o lançamento de três publicações voltadas para o setor: “Por uma Nova Formação Continuada”; “Ensinar e Aprender no Século XXI – versão brasileira da última publicação de Fernando Reimers”; e “Millions Learning – Ampliando a escala da educação de qualidade em países em desenvolvimento”.

Fonte: FGV Notícias.